Explorando Sarthel

expsarth.png

Sarthel é composta por três anéis que se alastram contra as margens do Lago Sarn, todos protegidos pelos formidáveis muros da cidade. O anel exterior, mais distante do Lago, é denominado de Distrito da Muralha e abriga muitos dos depósitos, estoques, celeiros, forjas e fundições da cidade. O anel intermediário, chamado de Distrito Baixo, é onde a maioria das pessoas vive, juntamente com centenas de lojas, oficinas, tavernas e outros estabelecimentos que servem ao público em geral. O anel interior, próximo ao lago, recebe o nome de Distrito Alto e lá podem ser encontrados templos, bancos, as mansões das famílias nobres e vários dos prédios cívicos. Estes distritos não são claramente divididos e por vezes invadem as áreas uns dos outros.

palacio.png

Mais propriamente descrito como uma cidadela do que um palácio, o Alamárida é a sede do governo da cidade. Em outros tempos, foi o palácio do governador nerathiano de Sarthel, mas, após a queda do Império, se tornou a sede das reuniões do Conselho dos Lordes e o posto do Alto Senescal. O Alamárida foi erguido no topo de um morro baixo na área setentrional da cidade, mirando as águas do Lago Sarn. Sua construção se deu com o mármore cor de mel extraído das montanhas próximas e parece reluzir nas primeiras luzes da aurora.

A maior parte dos registros da cidade estão armazenados aqui e vastas porções do palácio servem como os escritórios de diversos oficiais da cidade, como o Alto Magistrado e sua corte. Ademais, o Alamárida contém uma caserna e abriga uma porção dos exércitos de Sarthel em seu interior.

labirinto.png

Abaixo das ruas de Sarthel jazem as fundações e catacumbas ocultas da antiga cidade quori que outrora existiu ali. Muito deste trabalho antigo foi convertido nos esgotos de Sarthel atualmente, mas cisternas isoladas, câmaras funerárias soterradas, túneis secretos e outros tantos segredos marcam a área entre o Distrito Alto e o Distrito Baixo. Os níveis superiores deste labirinto são o refúgio de gangues de ladrões e bandos de contrabandistas. As ruínas mais profundas são ocupadas por altares e cofres dos quori, juntamente com seus tesouros perdidos e guardiões monstruosos.

pelarbin.png

Apesar de estar as margens de um lago profundo, Sarthel não é um porto; o Rio da Queda Negra é impossível de ser navegado entre o Lago Sarn e o Golfo de Kul. Ao invés disso, o comércio e a mercancia de Sarthel viajam para o Sul, na direção da pequena cidade costeira de Pelarbin. Uma boa estrada de pedra cobre os quase vinte e cinco quilômetros de colinas costeiras que separam a capital de seu porto. Pelarbin está exposta às tempestades das quais Sarthel está protegida e a face íngreme dos morros ao seu redor impedem que se torne tão grande quanto sua vizinha. Diversas casas e firmas mercantes sartharianas mantém docas e depósitos em Pelarbin, conectando Sarthel a terras distantes.

templo.png

O maior dos edifícios religiosos de Sarthel é o Templo da Chama Dourada, este situado na grandiosa Praça do Templo próxima ao centro da cidade. Seu nome advém de uma chama sagrada, zelosamente mantida em um braseiro no domo central. De acordo com seus sacerdotes, o fogo marca o local de manifestação de Erathis, ocasião na qual a deusa abençoou a cidade. A Chama Dourada é um templo panteísta, ainda que Erathis seja considerada a primeira entre os demais cultos e seja tida como patrona de Sarthel.

O Templo é o lar de cerca de uma dúzia de clérigos e acólitos, além de guardas, acadêmicos e servos.

alemuros.png

Sarthel está em um planalto alto e semiárido, entre a Serrania do Dragão ao norte e as Colinas Douradas na direção sul, com diversas minas e pedreiras pontilhando os contrafortes de ambos os lados. Esta região é conhecida como o Planalto de Sarn e se estende desde as florestas baixas de Therund até a planície ao redor do Lago Sarn. Sua ocupação é esparsa e os ranchos locais são costumeiramente bem separados uns dos outros. As terras não são especialmente férteis, exceção feita ao vale às margens do Rio da Queda Negra. Esta faixa de terras aráveis alcança cerca de oitenta quilômetros para além de Sarthel e suas vilas e aldeias são responsáveis por alimentar a cidade. Pequenas guarnições de soldados protegem os vilarejos e entrepostos mais importantes; a área dentro de um dia de viagem é bem patrulhada e razoavelmente segura de bandidos e outras criaturas horrendas.

Depois que se está a uma distância maior do que aproximadamente dezesseis quilômetros da cidade ou se deixa a região cultivada ao longo do Queda Negra, a terra rapidamente se torna erma. Ao norte, as alturas da Serrania do Dragão constituem um obstáculo considerável na viagem entre Sarthel e as pequenas cidades da Costa de Esmeralda. Ao oeste estão as cordilheiras, florestas e vales da Península de Kulgard.

Os planos áridos e bosques secos a leste do Lago Sarn já foram ocupados, mas a área foi desocupada centenas de anos atrás pelas guerras que marcaram o fim de Nerath. Nos dias atuais, aqueles que seguem a antiga estrada imperial de Sarthel até Avankil, na foz do Rio da Queda Negra, passam por uma região desolada, de fazendas abandonadas, fortalezas destruídas e bandos implacáveis de foras da lei.

Explorando Sarthel

O Abismo gbelem